Buscar

Convivência com animais de estimação podem reduzir problemas no coração

Você sabia que, a convivência com animais de estimação, além de contribuir para evitar a solidão e até mesmo combater doenças como a depressão, também pode contribuir para a saúde do nosso coração?

Especialistas da American Heart Association afirmam que os animais estão muito ligados ao controle de fatores de risco para doenças cardíacas, como obesidade, hipertensão arterial, níveis elevados de triglicérides e colesterol - gorduras que contribuem para a formação de placas de gordura nas paredes das artérias, problema conhecido como aterosclerose, que pode causar infartos e outros problemas cardíacos.


Pesquisas também apontam que o contato com os pets também estimula a produção de hormônios aliados da saúde, tais como endorfina, prolactina e oxitocina. Essas substâncias auxiliam na regulação do cortisol do organismo, um hormônio que contribui para combater o estresse.


Outra substância liberada devido à relação homem-animal é a acetilcolina, que está relacionada à diminuição da pressão arterial e ao equilíbrio das frequências cardíaca e respiratória. Os sentimentos de felicidade e bem-estar que resultam da convivência com os pets reduz os níveis de adrenalina no corpo.


Além disso, cachorros e gatos são ótimos companheiros, espantando a solidão, reduzindo a sensação de isolamento social, e afastando a depressão e a ansiedade, problemas que podem desencadear doenças cardiovasculares.


Quem tem cachorro precisa passear constantemente com o bichinho, e isso é uma ótima alternativa contra o sedentarismo, pois a pessoa caminha junto com seu cão, e assim deixa para trás um hábito que contribui para problemas cardíacos.


Os animais ainda ajudam na recuperação e no tratamento de pacientes com patologias cardiovasuclares.


Fonte: Coluna Viva Bem - Uol